CCES Unicamp

Pesquisadora do CCES integra conselho da principal associação de computação no mundo

É a primeira vez que um brasileiro ocupa esta posição.

Claudia Bauzer Medeiros, do Center for Computational Engineering & Sciences (CCES), da Unicamp, foi eleita para o conselho da Association for Computing Machinery (ACM), a associação americana de computação. O conselho, formado por 16 cientistas, define os rumos da entidade, composta por mais de 100 mil membros espalhados pelo mundo. Essas definições têm a ver com o direcionamento de um orçamento anual de dezenas de milhões de dólares para, por exemplo, patrocinar centenas de congressos pelo mundo, publicar dezenas de periódicos – cada um deles influente em uma área específica da pesquisa computacional –, promover cursos de aperfeiçoamento profissional, oferecer bolsas de estudo e fomentar redes de colaboração entre os associados.

A ACM também é responsável por disponibilizar conteúdo online para estudantes, desde o Ensino Médio (cursos e material didático) até a pós-graduação (artigos científicos), e selecionar anualmente os ganhadores do prêmio Turing, o Nobel da computação. Além disso, a associação colabora com as políticas científica e tecnológica de computação dos EUA e de outras partes do mundo, sendo ouvida e participando de comissões parlamentares a respeito.

“Minha eleição para o conselho foi assim: havia duas posições para serem ocupadas e quatro nomes indicados. Um colégio eleitoral mundial votou pela internet, com cédulas identificadas criptograficamente, e o processo durou cerca de um mês”, explica Medeiros. “Oficialmente, meu papel na ACM é votar sobre ações a serem tomadas em relação à pesquisa, ensino e promoção de políticas científicas e tecnológicas. Essas votações podem ser presenciais (duas reuniões por ano) e virtuais. Desde que fui eleita, em junho, já votei quatro vezes à distância”, completa.

Medeiros pretende também aumentar a interação entre a ACM e associações de computação latino-americanas, especialmente a Sociedade Brasileira de Computação (SBC), presidida pela pesquisadora no período de 2003 a 2007. “A SBC é uma sociedade muito importante, certamente a maior da América Latina e uma das mais ativas no mundo”, explica. Outro alvo de Medeiros é fomentar atividades multidisciplinares entre a computação e outras áreas do conhecimento, promovendo o eScience, como é a tônica das pesquisas do CCES.

“A vantagem de trabalhar com cientistas de outras áreas é compartilhar visões diferentes do mundo, que me permitem avançar na minha pesquisa ao mesmo tempo em que contribuo para o desenvolvimento de pesquisas em outras áreas. Aliás, esta é a definição básica de eScience: trabalho conjunto entre a computação e outras áreas do conhecimento, que possibilita aos cientistas de outras áreas realizarem sua pesquisa de forma mais eficiente ou diferente, ao mesmo tempo em que a pesquisa em computação também é aperfeiçoada, acelerada e modificada”, define.

O discurso de Medeiros é condizente com sua trajetória acadêmica, iniciada com a graduação em Engenharia Elétrica na PUC-Rio em 1976. Seu foco atual, como professora titular do Instituto de Computação da Unicamp, é trabalhar com gerenciamento e análise de dados científicos para desenvolver projetos multidisciplinares. O resultado desses trabalhos são aplicações práticas relacionadas a áreas do conhecimento variadas, tais como química, biologia, planejamento urbano, agronomia e ciências sociais. Além do conselho da ACM, a pesquisadora é membro do conselho da Research Data Alliance, entidade internacional com cerca de sete mil membros em 136 países, voltada à criação de políticas e mecanismos de gestão de dados para Open Science. Medeiros também é doutora honoris causa pelas universidades Antenor Orrego, do Peru, e Paris-Dauphine, da França, e comendadora da Ordem Nacional do Mérito Científico.

Related posts

CCES researchers accelerate scientific cloud computing

cces cces

Maurice de Koning

escience

Meet the hematene, the “iron graphene”, promising for solar energy generation

escience